CARREIRAS Concurso Diplomata 2018: Saiba TUDO sobre a carreira! Até R$ 27 mil!

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil (MRE), também conhecido como Itamaraty, é um órgão do Poder Executivo, responsável pelo assessoramento do Presidente da República na formulação, no desempenho e no acompanhamento das relações do Brasil com outros países e organismos internacionais (Concurso Diplomata).

A atuação do Itamaraty cobre as vertentes política, comercial, econômica, financeira, cultural e consular das relações externas, áreas nas quais exerce as tarefas clássicas da diplomacia: representar, informar e negociar.

Uma das carreiras de sua estrutura é a de Diplomata, considerada também uma função típica de estado. Aos servidores da carreira de Diplomata incumbem atividades de natureza diplomática e consular, em seus aspectos específicos de representação, negociação, informação e proteção de interesses brasileiros no campo internacional (art. 3º da Lei nº 11.440/2006).

Quanto à estrutura diplomática o MRE conta com um aparato que inclui, entre outras, a sede Palácio do Itamaraty em Brasília, e os Escritórios de Representação no Rio de Janeiro, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Belo Horizonte, Salvador, São Paulo, Recife e Manaus. O Ministério conta também com o apoio de entidades vinculadas como a Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG), responsável pelas questões acadêmicas, e também o Instituto Rio Branco, que tem por função recrutar e treinar os diplomatas.

O ingresso na carreira de diplomata se dá mediante concurso público de âmbito nacional organizado pelo Instituto Rio Branco, em parceria com o Cebraspe. Importante ressaltar que somente os brasileiros natos podem participar do concurso, cuja aprovação habilitará o ingresso na classe inicial da carreira de diplomata, bem como à matrícula no Curso de Formação do Instituto Rio Branco.

O órgão tem tradição de abrir concurso público até o fim do primeiro semestre de cada ano, ou seja, até julho de 2018 teremos mais um edital do concurso diplomata publicado. Uma das vantagens é que para se candidatar o candidato só precisar ter ensino superior completo, não necessitando de graduação específica. Ganhando inicialmente até R$ 17 mil, o servidor chega a classe especial com mais de R$ 27 – veja, abaixo, os valores do subsídio conforme aumento concedido pelo governo federal.

O concurso é composto por três avaliações. Na primeira, os concorrentes passarão por prova objetiva, composta por 73 questões de Língua Portuguesa, História do Brasil, História Mundial, Geografia, Política Internacional, Língua Inglesa, Noções de Economia e Noções de Direito e Direito Internacional Público. O exame ocorrerá em todas as capitais. Na segunda fase, há uma prova discursiva de Português (redação e dois exercícios).

Já na terceira e última fase, são seis avaliações, sendo cinco delas discursivas sobre História do Brasil; Geografia e Política Internacional; Língua Inglesa; Noções de Economia; Noções de Direito e Direito Internacional Público; O sexto exame é objetivo sobre Espanhol e Francês . Os selecionados nas etapas anteriores realizam ainda um curso de formação no Instituto Rio Branco, em Brasília. O regime de contratação é o estatutário (estabilidade).

Inicia sua preparação p/ o concurso Diplomata
Com uma carreira extremamente atrativa e com inúmeros benefícios os certame para o CACD costuma reunir um grande número de candidatos. Por isso, é recomendando aos interessados em ingressar no Itamaraty que iniciem o quanto antes os estudos, tomando como base o programa do concurso anterior. Sendo assim, vamos analisar todos os detalhes da carreira!

Atribuições dos aprovados no concurso Diplomata
Diplomata (terceiro secretário)
Requisito de Escolaridade
Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior, emitido por instituição de ensino credenciada pelo Ministério da Educação (MEC). No caso de candidatos cuja graduação tenha sido realizada em instituição estrangeira, caberá exclusivamente ao candidato a responsabilidade de apresentar, até a data da posse, a revalidação do diploma exigida pelo MEC, nos termos do artigo 48 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996).

Demais requisitos:
a) Ser brasileiro nato;
b) Estar no gozo dos direitos políticos;
c) Estar em dia com as obrigações eleitorais
d) Estar em dia com as obrigações do Serviço Militar no caso dos candidatos do sexo masculino;
e) Apresentar diploma de conclusão de curso de graduação de nível superior;
f) Apresentar aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo, verificada por meio de exames pré-admissionais.
Atribuições
Aos servidores da carreira de Diplomata incumbem atividades de natureza diplomática e consular, em seus aspectos específicos de representação, negociação, informação e proteção de interesses brasileiros no campo internacional e os ocupantes do cargo estarão sujeitos à observância estrita dos dispositivos que regem o Regime Jurídico dos Servidores da carreira de Diplomata do serviço exterior brasileiro (Lei nº 11.440, de 29 de dezembro de 2006, e demais Leis, Decretos e portarias sobre a matéria).

Progressão
A carreira de diplomata do Serviço Exterior Brasileiro divide-se em diversas classes. A primeira delas é a de Ministro de Primeira Classe, seguida pelo Ministro de Segunda Classe, Conselheiro, Primeiro Secretário, Segundo Secretário e Terceiro Secretário, em ordem hierárquica funcional decrescente.

Dentre os ministros de primeira classe ou, eventualmente, também os de segunda classe, será escolhido o Chefe de Missão Diplomática Permanente, mais alta autoridade brasileira no país em que estiver sediado. Excepcionalmente, poderá ser designado para exercer esta função, brasileiro nato, não pertencente aos quadros do MRE, maior de 35 (trinta e cinco anos), de reconhecido mérito e com relevantes serviços prestados ao País.

DEIXE UMA RESPOSTA